Crianças e professores apresentam doenças de pele. Prefeitura aplicou produtos que afastam os pombos do telhado.

Uma creche pública que atende crianças de até cinco anos foi interditada por dois dias em Cachoeiro de Itapemirim, região Sul do Espírito Santo, depois que alunos e professoras começaram a apresentar doenças de pele. Os pais acreditam que os problemas são causados pela presença de pombos na área do colégio. A Secretaria de Educação de Cachoeiro informou que não há comprovação da relação entre o problema de pele e a presença dos pombos. As aulas serão repostas em novembro.

A escola Zilma Coelho Pinto fica no bairro Aquidaban e recebeu uma aplicação de produtos que afastam os pombos do telhado. A dedetização começou nesta quarta-feira (15) e terminou na sexta-feira (17). As aulas voltam na segunda-feira (20). Funcionários informaram que o local passa por uma limpeza.

Várias professoras começaram a apresentar manchas vermelhas no corpo e ficaram sem trabalhar, com atestado médico. Os alunos também apresentaram as manchas e as mães ficaram preocupadas. “Meu filho está com uma infecçãozinha de pele que nunca sara, nunca tem fim. Ela termina, depois volta e continua, porque o contato está ali diariamente. Meu filho estuda em tempo integral”, disse uma mãe de aluno.

A auxiliar de serviços gerais Tatiane Andrade é mãe de uma criança de um ano e sete meses, que sofre com as manchas de pele. “Uma gestora me ligou informando que tinha umas pintinhas vermelhas nele igual às que tinham aparecido nas professoras que estavam de atestado, então ela pediu para eu ir lá buscá-lo e levar no médico para ver o que era. Depois, no dia 14, a coordenadora me ligou, porque ele tinha voltado às aulas e as manchas também voltaram. Pediram que eu fosse buscar novamente, porque as professoras estavam de atestado de novo”, disse Tatiane.

Fonte: Globo.com