São Paulo:
(11) 3925-1000
Grande SP, Interior e Litoral:
0800 755 9000
WhatsApp:
(11) 98208-5000
24 Horas
19 out 2017

Como acabar com cupim de solo

Os cupins representam um grande risco para residências e prédios em todo o mundo. Ele é considerado uma das pragas que maus causam prejuízos para o ser humano, infelizmente este é um problema que pode acontecer em qualquer lugar.

Entre os principais tipos de cupins que existem dentro da área urbana, o cupim de madeira seca e o subterrâneo (também conhecido como cupim de terra e cupim de solo), são os mais prejudiciais.

Os cupins de solo são os mais agressivos e complicados e se lidar dentro da zona urbana. Estes são os cupins que forma aqueles cupinzeiros de terra, muitas vezes vistosos e bem firmes.

Esta espécie não se abriga dentro de madeiras ou dentro de residências, eles constroem o cupinzeiro próximo do local onde tem bastante comida e humidade e vão atrás de alimento como formigas.

Por este motivo, a presença deles pode ser facilmente notada. Este tipo de inseto é voraz e se alimenta da celulose de qualquer material. Couro, papel, madeira e concreto estão entre os alimentos prediletos deles. Portanto, não é difícil entender quais são os riscos estruturais trazidos pelos cupins.

Como sempre, evitar as pragas é sempre melhor do que remediar a situação. Claro que não é nada fácil tentar evitar um animal como o cupim, afinal ele come até concreto, mas é bom tentar.

É possível tentar evitar o aparecimento das pragas seguindo algumas medidas:

  • Cobrir frestas nas paredes;
  • Não acumular entulhos no quintal (principalmente quando houver madeira em meio ao entulho);
  • Preparar o solo antes de iniciar a construção;
  • Evitar que raízes e outros materiais orgânicos fiquem por baixo da estrutura;
  • Evitar deixar tocos de árvores ou raízes após a corta e poda. Este tipo de material, quando seca, vira uma excelente fonte de comida para cupins e com certeza vai atrair os insetos para próximo da sua residência.

Como acabar com o cupim de solo

Acabar com o cupim de solo não é uma tarefa fácil, como já mencionamos. Existem várias maneiras de fazer isso, mas é preciso um pouco de paciência e bastante estudo para cada caso.

A primeira coisa a se fazer é ter certeza sobre qual o cupim está causando problemas, quais as áreas. Ao identificar o tipo de cupim e ás áreas afetadas, existem três principais maneiras de controlar esta praga.

Uso de Cupinicidas não repelentes

Este é um tipo de cupinicida não tão comum no mercado, mas com certeza é o mais eficiente. Ele é um veneno que mata os cupins de uma vez por todas ao invés de repelir, como os repelentes fazem.

Ele funciona de forma bem simples, ao entrar em contato com o solo contaminado com o veneno, os cupins morreram rapidamente.

A melhor forma de aplicar este veneno é encontrando a colônia ou aplicando o veneno próximo ao local onde eles estão se abrigando. Caso o cupinzeiro não esteja próximo, a melhor solução é usar iscas.

Iscas e armadilhas para cupins

O uso de iscas e armadilhas é bem comum no controle de qualquer praga, formigas à roedores. Este tipo de controle também é muito indicado para quem quer acabar com cupins.

A isca contra cupins de solo funciona de forma bem simples. Primeiro é preciso identificar por onde os cupins estão transitando na busca por alimentos e então aplicar a isca por este caminho de acordo com instruções do fabricante.

Os cupins carregarão a isca para dentro da colônia e contaminarão outros insetos, assim como a rainha. A colônia então morre junto com a rainha, eliminando de uma vez por todas o problema.

Este é a solução mais prática e fácil disponível no mercado, apesar de ainda haver riscos de falha.

A isca deve ser aplicada de forma correta, e de preferência por algum treinado ou especializado para realizar a aplicação.

Controle de cupins através de barreira química

A barreira química é um tipo de tratamento de solo que visa criar uma barreira no perímetro externo da construção. Está barreira evita que os cupins subterrâneos consigam acesso para dentro do prédio, controlando assim a praga.

Este tipo de tratamento é altamente eficaz, mas não deve nunca ser realizado por pessoas sem preparo ou sem a devida autorização para este tipo de trabalho. Não é à toa que apenas empresas podem comprar os produtos para este tipo controle.

Para os casos em que a isca ou o cupinicida não funcionarem, o ideal é fazer a barreira química. Para estes casos, contrate uma empresa responsável e que já tenha experiência no mercado.

Caso você esteja procurando uma dedetizadora para resolver os seus problemas de uma vez, contate a Esgotecnica! Nossa equipe de dedetização é altamente treinada para qualquer tipo de controle de pragas, sempre garantindo o melhor resultado final e a satisfação total de nossos clientes.

Sem dores de cabeça e sem problemas, a Esgotecnica está aqui para descomplicar tudo para você!

21 jul 2017

Infestação de ratos no condomínio: o que fazer

Os ratos causam graves problemas em qualquer ambiente, principalmente em condomínios. Essas pragas representam grandes prejuízos econômicos e sociais, e uma infestação de ratos no condomínio com certeza causará muitos transtornos aos moradores.

Os principais riscos trazidos por esses animais são as doenças e contaminações para os moradores. Já os danos materiais ficam por parte do hábito deles roerem tudo, portanto, fios de energia, cabos, canos, metais, madeiras e plásticos são alvos fáceis para esses animais.

Além dos riscos causados, os ratos também são pragas conhecidas pela alta velocidade de reprodução.

Os principais ratos urbanos possuem expectativa de vida e tempo de reprodução bem parecidos entre as espécies. A ratazana tem um tempo de vida estimado em 2 anos, o rato de telhado 1 ano e meio e o camundongo cerca de 1 ano.

Todas as três espécies podem começar seu ciclo reprodutivo a partir do 3º mês de vida, com gestações curtas de 20 dias. Os roedores podem ter por volta de 5 a 12 filhotes por cria, dependendo da oferta de alimento e abrigo.

Sua capacidade de reprodução é tão impressionante que se um casal cruzar em janeiro, em dezembro do mesmo ano serão mais de 100 mil descendentes.

É fácil entender o porque dessas pragas serem um pesadelo tão grande para os moradores de condomínios.

Como todos os outros problemas, é bem melhor prevenir o aparecimento de ratos do que tentar remediar a situação.

Dicas para prevenir a infestação de ratos

Para que os ratos possam se reproduzir a nível de se tornar uma infestação, é preciso três ingredientes: Abrigo, água e comida.

Quando o roedor encontra um ambiente favorável para a sua procriação, é quase certeza de que haverá um problema com infestação de ratos no local.

Para evitar qualquer problema com esses animais, basta acabar com essas condições na sua casa e nos ambientes próximos a ela.

Alguns ratos, como as ratazanas e os ratos de telhado, não fazem tocas dentro de casa, eles apenas entram dentro da residência para buscar comida. Se eles não encontrarem nada, dificilmente voltaram.

Dicas para se proteger de uma infestação de ratos:

  • Não deixe o lixo cheio durante a noite, limpe todo dia antes de dormir e recoloque os sacos plásticos durante a manhã;
  • Retire a ração de cães e gatos dos potes de alimentação durante a noite. Ratos gostam desse tipo de alimento, eles acabam aprendendo a comer a comida dos animais de estimação e voltando toda a noite para pegar mais;
  • Entulhos e outros materiais jogados no quintal formam tocas perfeitas para os roedores, mantenha o quintal e seus arredores limpos;
  • Nunca deixe restos de comida jogados na pia ou na cozinha, esse é um excelente banquete para os animais.

Com essas simples ações dificilmente haverá problemas com ratos e com outras pragas urbanas.

Infestação de ratos em condomínio, o que fazer?

Quando se nota um problema de infestação de ratos em um condomínio, a única coisa a se fazer é chamar a ajuda profissional para resolver o problema.

Apenas empresas que contam com profissionais treinados e biólogos especializados podem dar um fim no problema de roedores.

Os ratos são criaturas inteligentes, resistentes e altamente adaptáveis, apenas colocar veneno por onde eles andam não é efetivo e pode prejudicar a saúde dos moradores e de animais de estimação.

O raticida deve ser aplicado da maneira correta, em quantidades corretas e por pessoas capacitadas, evitando assim qualquer incidente e garantindo o fim da colônia.

Se feito de maneira errada, o veneno além de não matar os ratos pode causar o aumento da colônia através de um efeito reverso.

O efeito reverso acontece quando uma colônia está se mantendo sob controle com os machos adultos matando os filhotes, característica comum dos ratos, porém a introdução do veneno de forma errônea desequilibra esse ciclo e a população volta a crescer de forma desordenada.

Apenas profissionais treinados com a ajuda de um biólogo podem determinar essa situação previamente. Não vale a pena arriscar, não é mesmo?

Também é importante lembrar que receitas caseiras para eliminar ratos nunca funcionam. Estas receitas que aparecem na internet são apenas soluções paliativas e na maioria das vezes completamente ineficazes.

Condomínios possuem áreas muito grandes, por isso é preciso de um controle total do foco da infestação, das áreas adjacentes e dos apartamentos do local.

Esse tipo de acompanhamento só pode ser feito por uma empresa com experiência e equipe técnica qualificada.

Está com problemas com ratos e outras pragas urbanas? A Dedetizadora Esgotecnica possui um excelente serviço de dedetização que garante o fim do seu problema com pragas.

Se está havendo infestação de ratos em seu condomínio a Esgotecnica é a melhor solução para você e seus vizinhos!

Entre em contato com a gente e conheça nossos preços e serviços!

21 jul 2017

Como acabar com formigas doceiras

As formigas caseiras, popularmente chamadas de formigas doceiras, representam uma das pragas urbanas mais comuns no nosso cotidiano.

Muita gente considera que esses animais são inofensivos, afinal não possuem veneno nem mordem. Porém, esquecemos que elas são mais perigosas do que baratas e outras pragas.

As formigas se alimentam de praticamente tudo o que encontram, incluindo animais mortos e outros dejetos nada agradáveis. Suas patas e corpos são contaminados com os mais diversos micróbios, bactérias e fungos.

Ter esses animais andando livremente dentro de casa é um risco a saúde de qualquer um. Infelizmente elas não são tão fáceis de serem exterminadas, aumentando ainda mais a dor de cabeça do morador.

As formigas doceiras são um dos principais vetores de doenças e contaminações dentro de casa. Elas podem causar intoxicação alimentar, vômito, diarreia e outras doenças gastrointestinais graves.

Algumas dicas para manter sua casa livre desses animais são:

  • Manter a cozinha sempre limpa e livre de lixo;
  • Não deixar restos de comida em cima de pias, mesas e balcões;
  • Tampar as frestas da janela e portas com sabão em barra e
  • Usar arruda dentro de armários para espantá-las.

Caso queira acabar com as formigas de uma vez por todas, é preciso usar alguns métodos e ter certa paciência.

Confira as principais maneiras de eliminar as formigas doceiras

Existem muitas maneiras de acabar com a infestação de formigas caseiras, a principal delas é a utilização de inseticidas em forma de iscas.

Os inseticidas funcionam de forma simples. Ao aplicar a isca em gel, as formigas operárias ingerem o veneno e o levam até a colônia. Dentro do formigueiro as outras formigas são infectadas, incluindo a rainha.

Com o fim das operárias e da rainha, o formigueiro morre e o problema com formigas vai embora por um bom tempo.

Para utilizá-los é bem simples:

  • Compre o inseticida em isca gel de sua preferência;
  • Observe os caminhos feitos pelas formigas e escolha os melhores locais para aplicar o gel;
  • Use a seringa medidora para aplicar o produto próximo ao caminho das formigas. A aplicação deve ser feita com gotas pequenas do tamanho da cabeça de um fósforo que devem ser espalhadas para rastros de até 5 centímetros;
  • Faça uma aplicação a cada 30 centímetros acompanhando o local por onde as formigas passam, lembrando de nunca cruzar o caminho das formigas com o gel;
  • Basta esperar para que o inseticida cause o efeito esperado.

Caso você não queira ou não possa usar inseticida em iscas para resolver o problema, existem algumas soluções caseiras que podem resolver o problema.

Eliminando formigas doceiras com cravo e canela

O cravo e a canela são armas poderosas contra as formigas caseiras. Colocando um punhado de cravos em um pote sem tampa, ou saquinho de tule, se cria um poderoso repelente de formigas que pode ajudar a espantá-las sem precisar mata-las.

Os óleos encontrados no cravo-da-índia produzem um cheiro nada agradável para as formigas. O mesmo procedimento pode ser feito com canela.

É importante lembrar de trocar o pote ou saquinho pelo menos uma vez a cada duas semanas.

Usando cascas de limão e laranja para acabar com as formigas

A casca da laranja e do limão ajudam a acabar com formigas em locais específicos. Açucareiros, baleiros e fruteiras podem ser protegidos com eficiência usando este método.

Basta colocar um pedaço da casca de fruta dentro do local onde as formigas estão visitando.

Detergente contra formigas doceiras

A mistura de detergente e água é uma das maneiras mais eficazes de acabar com formigas doceiras. Essa solução é barata e não contamina o ambiente. Basta misturar 100 ml de detergente com 100 ml de água e colocar dentro de um borrifador.

Borrife a solução nos cantos e frestas por onde as formigas entram e saem. Se a solução alcançar o formigueiro os insetos serão eliminados.

Vinagre após a limpeza da casa

Borrifar um pouco de vinagre branco no piso da cozinha, balcões e mesa, após a limpeza dos mesmos, evita que as formigas apareçam andando pelo local.

Suco de limão

Outra técnica eficiente é colocar suco de limão nas frestas das janelas e das portas por onde elas entram. O cheiro forte da fruta irá incomodar as formigas e espantá-las.

Usando pimenta e borra de café

A borra de café e a pimenta-caiena possuem o mesmo efeito nas formigas caseiras. Após passar a mistura de detergente citada acima, use pimenta-caiena para cobrir as frestas e buracos.

Use a borra de café no lugar da pimenta caso haja risco de crianças ou animais entrarem em contato com a pimenta.

Chamando ajuda profissional

É importante lembrar que se a infestação for grave ou se essas soluções descritas não resolverem o problema, é hora de chamar ajuda profissional para lidar com o problema.

A Esgotecnica possui serviços de dedetização que funcionam de verdade, resolvendo o seu problema com formigas doceiras de uma vez por todas.

Entre em contato com a gente e conheça nossos serviços, facilidades e preços.

Não passe raiva, chame a Esgotecnica.

22 jun 2017

Controle de pragas em restaurantes: o que diz a legislação

O controle de pragas em restaurantes deve ser feito com muita atenção e de total acordo com a legislação e normas.

Não é difícil entender o porque da necessidade de tantas normas. Restaurantes, bares, lanchonetes e restaurantes em ambiente industriais devem estar sempre livres do risco de contaminação.

Não é possível simplesmente jogar um veneno aqui e ali para se livrar das pragas.

Essa limpeza é vigorosamente fiscalizada pela vigilância sanitária e regrada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O surgimento de pragas nesses ambientes é bem grande, assim como os riscos. Algumas pragas podem ser vetores de doenças diversas, como disenteria, difteria, salmonelose, entre outras.

Outro risco de não seguir esse controle da forma correta está na contaminação por pesticida.

Ao contratar uma empresa ou profissional que não segue essas normas e usa métodos aprovados, talvez a praga deixe de ser o problema e o veneno passe a ser o principal culpado de acidentes e problemas.

O que a legislação diz sobre o controle de pragas em restaurantes?

A legislação que rege como deve ser feito o controle de pragas em estabelecimentos alimentícios é a RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004.

Ela é aplicada a todos os serviços de alimentação com as seguintes atividades: cozinhas institucionais, restaurantes, lanchonetes, cantinas, entre outros.

Isso quer dizer que qualquer empresa ou indústria que possua um restaurante, refeitório ou lanchonete deve também seguir as normas de controle de pragas impostas pela lei.

O item 4.3.1 define que: “A edificação, as instalações, os equipamentos devem ser livres de vetores e pragas urbanas. Deve existir um conjunto de ações eficazes e contínuas… com o objetivo de impedir a atração, acesso ou proliferação dos mesmos”.

Já o controle das pragas é regrado a partir do item 4.3.2 que específica que: “Quando as medidas de prevenção não forem eficazes, o controle químico deve ser executado por empresa especializada…”.

Já o item 4.3.3 se refere a como deve ser realizado o processo de controle químico no local “Quando da aplicação do controle químico, a empresa especializada deve estabelecer procedimentos pré e pós-tratamento a fim de evitar a contaminação dos alimentos, equipamentos e utensílios. Quando aplicável, os equipamentos e os utensílios, antes de serem reutilizados, devem ser higienizados para a remoção dos resíduos de produtos desinfetantes. ”

Esses procedimentos são sempre fiscalizados (geralmente de surpresa), e se não estiverem de acordo com as normas a empresa pode acabar tendo um grande prejuízo.

Qual periodicidade exigida para controle de pragas em restaurantes?

De acordo com determinações da Anvisa, os proprietários dos estabelecimentos que produzem, preparem e servem alimentos, precisam de um plano de ação contínua.

Isso quer dizer que a briga contra as pragas não deve acabar nunca.

O plano deve incluir não apenas a dedetização, mas também maneiras de realizar o descarte e armazenamento correto de alimentos e produtos, além de limpeza constante;

Já o controle em si, realizado por uma empresa especializada no Controle de Pragas em restaurantes, deve ser feito mensalmente.

Ou seja, cafeterias, lanchonetes, restaurantes, bares e etc. devem sempre estar fazendo de tudo para evitar a criação e proliferação e devem realizar o serviço de dedetização uma vez por mês.

Como deve ser o controle de pragas de restaurantes industriais

Os restaurantes industriais são um caso a parte, apesar de serem regrados pelas mesmas regras da Anvisa, o problema esta no tipo do ambiente.

Os restaurantes industriais ficam em ambientes que compreendem muito mais do que o restaurante.

Por isso a praga pode não estar no restaurante, pode estar em outras localizações e vão até o local dos alimentos apenas por suprimentos.

Devido a isso o controle deve ser mais especializado e feito com muito mais cuidado e um olhar mais clínico.

A regra ainda se mantém, deve haver um plano para o controle além de dedetização realizada mensalmente.

É importante lembrar que o processo de controle de pragas deve ser feito por uma empresa com experiência e que esteja dentro das normas.

O controle de pragas em restaurante é muito série e nunca deve ser feito de forma incorreta.

Um serviço mal feito, além de não eliminar as pragas, podem prejudicar a qualidade de vida de muitos clientes e funcionários do local.

Não arrisque!

A Dedetizadora Esgotecnica possui um serviço de dedetização completamente dentro das normas e exigências dos órgãos fiscalizadores.

Também contamos com uma equipe altamente treinada para garantir que tudo seja feito como se deve e que nada fique para trás.

Se você procura o melhor serviço de controle de paras para seu restaurante, bar, empresa ou lanchonete, nós temos a resposta!

Entre em contato com a gente e conheça nossas condições e serviços! Tenha a certeza de que aqui você será bem atendido e seu problema será solucionado!

22 jun 2017

Como escolher uma dedetizadora em São Paulo

Escolher uma empresa de dedetização não é uma tarefa muito fácil. Principalmente com o grande número de opções disponíveis por aí.

Basta dar uma pesquisada nos motores de busca por “Dedetizadora em São Paulo” e você irá encontrar uma quantidade enorme de opções.

Porém, apenas existir na internet e ser relevante para o Google não é garantia de qualidade para empresas de nenhum segmento.

É importante ir além das mais relevantes e ir atrás de informações realmente uteis na hora de escolher uma boa dedetizadora.

O serviço de dedetização é um trabalho complicado e que deve ser realizado dentro dos padrões e das normas estabelecidas pelos órgãos competentes.

Basta lembrar que processos de dedetização podem incluir o uso de químicos para acabar com as pragas.

Mas você confiaria em qualquer pessoa para jogar veneno na sua casa?

É importante pensar nos riscos que isso pode trazer para a sua família e para a sua residência.

Contratar uma boa empresa de dedetização deve ser uma prioridade para resolver problemas com pragas. Acredita, pagar “baratinho” pode sair muito caro depois, caso você não contrate a empresa certa.

Para encontrar a melhor empresa é preciso levar algumas coisas em considerações.

É preciso verificar alguns pontos interessantes para filtrar as suas opções e chegar a um resultado final satisfatório.

Confira o que deve ser considerado:

Equipe profissional devidamente habilitada

Empresas de controle de pragas precisam ter um profissional técnico responsável. Esse profissional deve ser legalmente habilidade, qualificado e deve estar presente nas rotinas relacionadas ao trabalho de dedetização.

Algumas empresas tem um “técnico irresponsável”, o que pode causar prejuízos e muita dor de cabeça para o cliente.

Fuja de empresas que não estão dentro das normas e não são devidamente licenciadas!

Autorização e alvará da empresa

Empresas de qualidade sempre serão transparentes com os seus clientes.

Portanto procure saber se a empresa de dedetização tem o alvará de funcionamento adequado e se os produtos usados têm autorização por parte do Ministério da Saúde.

Esses são pontos importantes para evita ter problemas no futuro.

Recomendação por parte de outros clientes

Tente entrar em contato com clientes que já tiveram serviços realizados pela empresa. Pergunte a sua opinião e veja a taxa de satisfação.

Também é possível fazer essa pesquisa através da internet em sites como o ReclameAqui.

Empresas que tem muitas reclamações ou que ninguém recomenda com certeza não irão te agradar também.

Não deixe que uma experiência ruim aconteça com você, use as outras pessoas como referência.

Se uma empresa tem uma alta taxa de recomendação e satisfação é certeza de que ela irá resolver o seu problema sem dar dor de cabeça.

Confie em empresas com experiência

Uma empresa de dedetização com anos de experiência pode ser uma excelente opção.

Nenhuma empresa se mantém por muito tempo sendo ruim. Ou seja, uma empresa que existe a uma década chegou com esse tempo de vida por agradar os seus clientes e garantir um bom trabalho.

Ao analisar esses pontos principais, e mais algumas exigências pessoais (como local, preço e forma de pagamento), você irá encontrar as melhores soluções.

Lembrando que a prioridade deve ser a sua segurança e a segurança da sua família, comércio, funcionários ou local de trabalho.

A dedetização é realizada com químicos perigosos, por isso é importante ter alguém de confiança ao seu lado na hora de realizar esse serviço crucial.

Encontre a melhor empresa de dedetização aqui!

Com a Esgotecnica você irá encontrar uma empresa que atende a todos esses pontos específicos e a muitos mais.

Temos profissionais treinados para realizar controle de pragas com total eficácia e com muita segurança.

Toda a nossa equipe é preparada para atender os nossos clientes da melhor forma possível, desde o atendimento primário até o momento final do serviço.

A Esgotecnica possui as autorizações necessárias para a realização dos procedimentos de controle de pragas.

Somos licenciados pela:

  • CEVS – Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo
  • CRQ – Conselho Regional de Química
  • Ibama
  • Cetesb

Além ter o Alvará de funcionamento expedido pela Prefeitura.

Tudo que fazemos é pensado em você cliente!

Com serviços de dedetização, descupinização e desratização e com as melhores condições de pagamentos.

Você pode até mesmo agendar uma visita para um orçamento sem compromissos!

Praticidade, segurança e eficiência. É o que a Dedetizadora Esgotecnica oferece para todos os nossos clientes.

Não passe raiva, chame a Esgotecnica!

15 maio 2017

Tipos de ratos: você conhece todos?

Ratos são os roedores urbanos mais comuns. Eles representam um grande risco para as residências, industriais e comércio de todo o lugar do mundo.

Eles são uma das pragas urbanas de maior relevância, sendo uma grande preocupação dos órgãos públicos.

Alguns dados interessantes sobre esses roedores:

  • Os ratos são responsáveis pela perda de 30% de toda a produção nacional de grãos;
  • Hospitais e postos médicos registram 1 caso de mordida de rato a cada 3 dias;
  • No Brasil existem cerca de 8 ratos por habitante. Em países europeus como a Suécia a média é de 0,5 por habitante;
  • Ratos se reproduzem rapidamente. Se um casal se acasalar em janeiro, em dezembro do mesmo ano já existiram 180 mil descendentes.
  • 30% dos incêndios industriais e comerciais sem causa definhada são atribuídos a roedores;
  • Os ratos, e suas pulgas, espalham diversas doenças. Algumas delas são: Tifo, Febra da Mordida, Leptospirose e o Hantavírus (uma doença letal).

Os ratos urbanos são divididos entre três principais espécies. Os Ratos, as Ratazanas e os Camundongos.

Cada um deles com suas características e hábitos. Você sabe como diferenciá-los?

Aprenda a identificar qual espécie de roedor está presente na sua residência através de um guia simples.

Conheça as principais diferenças entre os ratos comuns no ambiente urbano.

Ratazanas – Rattus norvegicus

As ratazanas são os mais comuns roedores de área urbana. Elas dificilmente criam ninhos dentro de casas.

Suas tocas geralmente ficam em um raio de 45 metros da sua fonte principal de alimento e elas gostam de fazer tuneis e tocas para se esconder e se abrigar.

A principal característica de identificação de uma ratazana está no tamanho robusto de seu corpo que pode chegar até 25 centímetros de comprimento

Além do tamanho as ratazanas também possuem características como:

  • Pelos de coloração castanho-acinzentada;
  • Cauda grossa com pouco pelo e mais curta do que o tamanho do corpo;
  • Focinho rombudo;
  • Orelhas pequenas e encostas na cabeça;
  • Os pés traseiros são bem desenvolvidos chegando a medir até 37 mm.

Uma das maneiras de identificar se uma ratazana fez uma visita para você ou não é através das fezes do animal.

As vezes da ratazana são grandes e bem escuras. Elas possuem um formato cilíndrico grosso com extremidades arredondadas.

Elas têm uma alta capacidade de procriação, entrando no cio cerca de cinco vezes por ano e com um período de gestação de apenas 22 dias.

Elas adoram se alimentar de peixes, carnes e cerais e são excelentes nadadoras.

As ratazanas possuem neofobia, medo de tudo que é novo.

Por isso é tão difícil eliminar as ratazanas com raticidas ou armadilhas pois elas possuem muito medo de tudo que é introduzido de novo em seu ambiente.

Geralmente as ratazanas mandam os mais velhos ou os mais jovens para testar as novidades introduzidas em seu território.

Rato de Telhado – Rattus rattus

Esses ratos costumam a se abrigar acima do nível do solo. Geralmente dentro do forro ou do sótão de residenciais.

Se você está ouvindo patinhas em cima do forro, talvez eles sejam os culpados.

Suas principais características são:

  • Tamanho menor do que a das ratazanas e possuem um focinho mais fino;
  • A cauda é mais longa do que o rosto do corpo junto com a cabeça;
  • Os pelos possuem uma coloração entre o preto e o cinza escuro;
  • Eles possuem orelhas grandes e proeminentes;
  • As fezes são cilíndricas e possuem a ponta afunilada. Possuem cerca de 12mm.

Eles podem ter de 4 a 8 filhos por ninhada, de cinco a seis ninhadas por ano. Eles são onívoros, comem praticamente de tudo.

Assim como as ratazanas o rato de telhado também é neofóbico. Também é difícil de acabar com eles usando armadilhas e raticidas.

Camundongo – Mus musculus

O camundongo é o mais fácil de ser identificado, afinal, ele é o menorzinho da espécie e ele é diferenciado por:

  • Um corpo pequeno com cerca de 9 cm;
  • O rabo tem o mesmo tamanho do corpo;
  • Sua estrutura é frágil e pesa apenas 15 gramas;
  • Os olhos são bem vivos e salientes;
  • Suas fezes são pequenas e bem finas, parecidas com a do rato de telhado, só que menor;

Essa espécie vive cerca de 1 ano e já atingi a sua maturidade sexual com apenas 68 dias. Eles procriam de 7 a 8 vezes por ano, com 4 a 8 filhos por ninhada.

Diferente dos outros dois os camundongos são neofilicos, ou seja, eles adoram uma novidade.

Por esse motivo é fácil de captura-los ou eliminá-los com raticidas e ratoeiras.

Independente da espécie os ratos são problemáticos para os seres humanos e para muitas áreas de interesse da indústria.

Caso você note a presença incomum desses animais na sua casa, contate a ajuda de um profissional.

Nós da Dedetizadora Esgotecnica possuímos uma equipe de desratização treinada e pronta para solucionar o seu problema com pragas.

Entre em contato com a gente e conheça os nossos serviços.

15 maio 2017

Mosquito da dengue e pernilongo: aprenda a diferenciá-los

Muitas vezes estamos tranquilos dentro de casa e então começamos a notar alguns pernilongos voando pelo local, ou até mesmo pousando na gente.

Nesse momento lembramos de todas as notícias relacionadas a dengue e ao aedes aegypti e aí começa a preocupação.

Será que é dengue? Tem dengue em casa? Será que já foi picado e vou entrar para as estatísticas?

A preocupação é comum e vem se tornado cada vez mais comum nos lares brasileiros. Principalmente nos estados onde a ocorrência da doença já está há níveis alarmantes de quase epidemia.

Na maioria das vezes estamos apenas nos preocupando sem necessidade, algumas vezes estamos certos.

Devido à gravidade da dengue é que é preciso entender a diferença entre o pernilongo comum e o mosquito da dengue.

Existem uma série de fatores que ajudam na hora de diferenciar as duas espécies do mesmo inseto.

Aprenda a diferenciar o mosquito da dengue do pernilongo comum.

As diferenças entre o mosquito da dengue e o pernilongo

A primeira diferença está na determinação científica dos dois. O pernilongo comum é chamado de Culex quinquefasciatus, já o mosquito da dengue é o famoso Aedes Aegypti.

Mas isso não interessa tanto para quem quer descobrir a diferença entre eles. O importante é o que podemos ver a olho nu e o que podemos notar.

Bom, as principais diferenças entre eles são:

O tamanho

A primeira diferença distinta entre os dois está no tamanho de cada um.

O Culex mede de 3 a 4 milímetros. O Aedes pode medir de 5 a 7 milímetros. Ou seja, quase o dobro do tamanho.

Claro que não há como medir um mosquito com uma régua, ainda mais por serem difíceis de capturar. Mas apenas de bater o olho já dá para notar se o mosquito tem um tamanho normal, ou se ele é um grandalhão.

A cor

Além do tamanho bem diferente entre os dois, outro detalhe básico é a cor dos mosquitos.

O Culex possui uma cor marrom bem clássica desses insetos. Nada que chame muito a atenção. É até difícil ver ele contra a pele, dependendo do tom.

Já o Aedes Aegypti possui o corpo preto com fachas brancas. Parece com uma camisa de presidiário. Ele é bem distinto e fácil de ser reconhecido.

O horário de alimentação

O pernilongo comum, como todo mundo já está acostumado, é um inseto noturno. Ele começa a procurar por alimento depois das 18 horas.

Quando mosquitos estão incomodando durante a noite é 100% de chance de ser um Culex comum.

Em contrapartida o Aedes só tem atividade durante o dia, geralmente das 9h às 13h. Quase que um horário de almoço. Ataques nesse horário são preocupantes.

O barulho que fazem durante o voo

Sabe aquele barulhinho bem chato que o mosquito faz? Bem parecido com um “bzzzzz”. Esse barulho é característico apenas do pernilongo.

O Aedes Aegypti não possui som algum, ele é silencioso. Esse é um dos fatores preocupantes do mosquito da dengue, ninguém ouve ele chegando.

Velocidade de voo

O Culex é menor e consequentemente mais fraco do que o seu primo perigoso. Isso também se aplica as asas das duas espécies.

Os pernilongos comuns voam bem mais lentos do que os Aedes. Eles são lentos o suficiente para serem esmagados ou mortos por raquetes elétricas.

O Aedes, por sua vez, é muito rápido e ágil. Dificilmente é possível matar um mosquito da dengue com uma raquete elétrica ou com uma chinelada.

Local de picada

O local da picada também possuí uma diferença muito grande.

A diferença entre a picada do mosquito comum e o da dengue está nas marcas deixadas pelos dois.

O Culex deixa marcas por onde ele passa. Pele irritada, coceira e vermelhidão são os principais sintomas da picada causada pelo Culex.

Infelizmente o mosquito da dengue também é silencioso com a sua picada. Ele não deixa sinais, marcas, dor ou coceira. Ele pica, suga seu sangue e vai embora e nem é possível de sentir a sua ação.

Juntando isso com o seu voo silencioso, o mosquito da dengue é um perigo quase imperceptível.

Como se prevenir contra os mosquitos

Tanto o Culex quanto o Aedes botam seus ovos no mesmo lugar. Em água parada. A diferença é que o Aedes prefere água limpa e tem os ovos muito mais resistentes.

Para evitar problemas com qualquer espécie de mosquito, a dica é bem simples. Prevenção.

Confira algumas dicas que podem ajudar a prevenir o aparecimento desses insetos:

  • Mantenha a caixa d’água sempre com a tampa adequada;
  • Evite o entupimento de calhas através da limpeza e manutenção periódica;
  • Não deixe água a da chuva acumular na laje;
  • Lave com escova e sabão todos os containers de água;
  • Encha o pratinho dos vasos das plantas com área;
  • Troque a água dos animais todos os dias e lave os potes uma vez por semana;
  • Não deixe nenhum objeto que possa acumular água em local aberto.

Seguindo essas dicas simples você não irá precisar se preocupar nem com o mosquito da dengue e nem com o chato do pernilongo.

Precisa de ajuda profissional?

Entre em contato com a gente e conheça nossos serviços de dedetização. Temos a certeza de que você irá encontrar todas as soluções que você precisa.

07 abr 2017

Você sabia que baratas e outros insetos atraem escorpiões?

As baratas são insetos muito comuns nas áreas urbanas. Quem nunca viu uma barata em casa, não é mesmo?

É extremamente comum vermos baratas, principalmente durante a noite, próximo as bocas de lobo e esgotos.

O grande problema desses insetos é o monte de doença que eles podem carregar.

Porém, além dessas bactérias que pegam carona nas patinhas das baratas, também está uma ameaça mais direta, os animais peçonhentos.

Escorpiões e Aranhas, são predadores naturais das baratas e onde há abundância de comida eles irão aparecer.

Muita gente pode achar que uma baratinha aqui e outra ali não faz mal, mas a coisa muda quando aranhas e escorpiões começam a ser frequentes no quintal.

O jeito mais fácil de evitar escorpiões é evitando as baratas

É importante manter o quintal e a residência em uma condição não favoráveis ao aparecimento de baratas.

Dessa maneira os escorpiões não serão atraídos para o local em busca de alimento.

Claro que existem ressalvas, afinal escorpiões podem sim aparecer em quintais que não possuem um grande número de baratas, mas com certeza é um evento mais caro.

Como evitar baratas

Se a melhor forma de evitar escorpiões é acabando com a fonte de presas dele, então vamos aprender a evitar as baratas em nossa residência.

  • Evite deixar lixo da noite para o dia na sua casa: As baratas são noturnas, elas saem para buscar comida durante a noite. Deixar sacolas de lixo durante a noite dentro de casa irá atrair elas. Mesmo que o lixo seja retirado depois, já foi criado um ambiente propício para a proliferação dessa praga;
  • Muito cuidado com o pote de ração dos animais: A ração esquecida no prato de comida do cachorro ou do gatinho podem atrair baratas, procure sempre trocar a ração e manter o prato limpo;
  • Fezes de animais também devem ser evitadas: Sempre limpe as fezes dos animais, pois elas são grande chamariz de baratas.

Além disso é importante manter o quintal e os arredores da casa o mais limpo possível, evitando lixos acumulados e mato alto.

Uma dica bem interessante é que pragas precisam de três “A” para se proliferarem. Água, alimento e abrigo.

Acabe com isso na sua casa e no quintal e o problema com baratas acaba.

Como evitar escorpiões

Se mesmo evitando as baratas ainda há problemas com escorpiões na sua residência existem outras precauções que devem ser tomadas imediatamente.

Escorpiões gostam de viver em troncos apodrecidos, embaixo de pedras, pilhas de tijolos, telhas, lenha e papelão. Basta ser um lugar úmido.

Dentro de casa eles gostam de ficar em frestas nas paredes.

Então é importante fazer uma limpeza geral no quintal e remover qualquer um desses materiais que possam servir de lar para esses animais peçonhentos.

Outra dica para evitar escorpiões é tapar frestas na parede da casa.

Como evitar acidentes com escorpiões

Caso haja aparições de escorpiões no quintal, é muito importante seguir essas regras para evitar acidentes:

  • Evite o acumulo de lixo e entulho no quintal;
  • Tape as frestas e buracos das paredes;
  • Bata nos sapatos e roupas para verificar se há presença de escorpiões antes de vestir ou calçar a peça;
  • Afasta as camas das paredes;
  • Não guarde sapatos em baixo da cama;
  • Manuseie tijolos e telhas com cuidado, atenção e equipamentos de proteção;
  • Quando tiver que andar no quintal, use botas protegidas;
  • Manter a atenção máxima quando estiver lidando com madeiras, troncos ou lenhas.

Também é importante buscar a ajuda profissional de uma empresa de dedetização para acabar com o problema de uma vez por todas.

Problemas com escorpiões? Entre em contato com a gente que garantimos a solução rápida e eficiente para o seu problema!

05 abr 2017

Tipos de cupins: Conheça os principais e saiba como identificá-los

Os cupins são insetos capazes de trazer muito transtorno e problemas para muitas residências. Principalmente as que possuem móveis de madeira. Existem vários tipos de cupins e cada tipo possui características próprias.

Essas criaturinhas não devem ser subestimadas, pois elas podem acabar com móveis, estruturas e em alguns casos até mesmo colocar uma casa inteira no chão.

Só no Brasil são cerca de 300 tipos diferentes desse bichinho. Além disso existem espécies de outros países que podem aparecer por aqui.

Uma boa parte desses cupins se adaptam às áreas urbanas. A situação é tão comum que há uma estimativa de que 30% das construções em São Paulo já tenham sofrido com infestações por parte desses bichinhos.

Pela grande quantidade de casos relacionados a esses bichinhos que é importante aprender quais os tipos de cupins estão sendo encontrados em nossas residências, para então poder lidar com a situação de forma correta.

Quais os tipos de cupins e como identificá-los

Existem três tipos principais de cupins urbanos no Brasil. São essas espécies que causam os maiores transtornos e ocorrem de forma mais comum.

Esses cupins são: Cupins de Madeira Seca, Cupins Subterrâneos e Cupins Coleópteros (Brocas ou Carunchos).

Saiba como identificar cada tipo de cupins:

Cupins de Madeira Seca

Já viu aquele bichinho comumente chamado de “Aleluia” ou “Siriri”?

Esses são parte de um dos tipos de cupins mais comuns no Brasil, os cupins de madeira seca.

Eles são bem conhecidos e durante o começo da primavera é muito comum ver eles voando próximo de lâmpadas e locais iluminados.

As aleluias nada mais são do que os cupins de madeira seca machos. Quando eles estão voando por ai, eles estão procurando lugares para criarem novas colônias e não há nada que eles gostem mais do que madeira seca.

Ou seja, eles atacam muitos móveis e estruturas de madeira.

Mesmo não possuindo um ataque muito agressivo e colônias pequenas, ainda é preciso tomar cuidado com eles e tomar as medidas necessárias para evitar uma possível proliferação.

Cupins Subterrâneos

Os cupins subterrâneos são bem mais complicados que os de madeira seca.

Eles são mais agressivos e possuem uma sociedade muito mais organizadas. A sua presença em um local é caracterizado pelos famosos cupinzeiros de terra.

Esses tipos de cupins, como o próprio nome já diz, vivem em baixo da terra, procurando madeira para se alimentar.

Eles podem se alojar em madeira, couro, tecidos, papéis e alguns deles podem até mesmo se alojar dentro de concreto, comprometendo toda a estrutura de alvenaria de uma casa.

Lajes, fundações, radier e paredes podem ser vítimas desses bichinhos. Sem mencionar cabos de eletricidade e telefônicos.

Eles tem uma adaptabilidade enorme em estruturas urbanas, podendo se aninhar em diversos locais e comprometer importantes estruturas.

Os zangões dessa espécie possuem asas como os cupins de madeira, porém eles possuem uma diferença bem visível.

Os zangões subterrâneos possuem duas veias em suas asas, com poucas transversais. Os cupins de madeira seca possuem três veias e muitas transversais. Essa é a principal forma de identificar um zangão.

Cupins Coleópteros – Carunchos ou Brocas

Esse é um dos tipos de cupins mais expressivos do mundo. Eles representam quase 40% de todas as espécies de cupins já catalogados em todo o planeta.

A maior parte dessa espécie se alimenta de madeira, já outra parte se alimenta de cereais como arroz, milho e feijão.

Eles são o tipo mais fácil de ser identificados e eliminados, pois eles colocam seus ovinhos na superfície da madeira “sem esconder eles”.

O problema é depois que as larvas nascem, pois elas se alojam dentro da madeira sem fazer perfurações e sem deixar rastros de infestação.

É nesse momento que essa espécie é a mais perigosa, pois na fase de larva eles se alimentam da madeira, danificando toda a estrutura de onde estão alojados.

Identificou algum dos tipos de cupins citados aqui e precisa dar um jeito neles? Ligue agora e consulte-nos sobre o nosso serviço de descupinização.

15 fev 2017

Larva de Aedes aegypti pode ser morta com pastilha

Inseticida biológico não faz mal a plantas e foi aprovado pela Anvisa

Combate ao mosquito Aedes Aegypti

Uma pastilha solúvel em água e que não faz mal a plantas promete matar larvas do Aedes aegypti e está disponível, aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O Dengue Tech é o nome comercial de um inseticida biológico desenvolvido a partir de uma pesquisa feita na Fiocruz, no Rio, e posteriormente formatada para uso inclusive doméstico pela startup BR3 com apoio do Cietec-USP (Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia).

Ele é formulado a partir de um microrganismo de ocorrência natural, conhecido como BTI (Bacillus thuringiensis). Segundo Rodrigo Perez, 50 anos, diretor-geral da BR3, o bacilo age no sistema digestivo da larva do Aedes, vetor de doenças como dengue, zika e febre chikungunya.

Se colocado  em um ponto em que frequentemente acumula água, como um prato de planta, um ralo, atrás de uma geladeira, um vaso sanitário sem uso ou mesmo a base de uma bromélia, o BTI elimina as larvas por 60 dias. E, como é um microrganismo presente na natureza, ele não é prejudicial à planta.

A Anvisa liberou o uso da pastilha para venda livre, mas ela não pode ser usada em caixas d’água ou potes de água de animais domésticos.

mosquisto

Atualmente, a produção é feita dentro do Cietec-USP, com capacidade de fabricar 2 milhões de doses por ano – cada pastilha tem 50 mg, suficientes para tratar até 50 litros de água.

Mas a BR3 pretende, com apoio da Investe SP, agência de promoção de investimentos ligada ao governo do Estado de São Paulo, instalar uma fábrica em Taubaté (140 km de SP), que deve começar a produzir a partir do final do próximo ano. “Avaliamos que poderemos até exportar esse produto”, disse Perez.

Fonte: band.com.br