SÃO PAULO:
(11) 3053-4600
DEMAIS LOCALIDADES:
0800 755 9000
24 Horas
26 jan 2019

Como se prevenir da ameaça dos principais vírus transmitidos por mosquitos no verão

O verão inegavelmente chegou e com ele veio um forte calor. Independente da preferência pessoal de cada pessoa em relação a temperatura, é certo a necessidade de tomar muito mais cuidados com pragas, principalmente os insetos que são muito mais ativos neste período.

Entre os animais que ficam mais animados durante o calor temos os mosquitos, que além de muito chatos, podem transmitir diferentes doenças, algumas até muito temidas, como a dengue ou a Zika.

Levando isso em consideração, a Dedetizadora Esgotecnica reuniu algumas dicas para se prevenir da ameaça dos vírus transmitidos pelo mosquito durante o verão.

Como se proteger da ameaça dos mosquitos durante o verão

De todos os vírus que podem afetar os seres humanos durante a estação, a grande maioria é transmitida pelos mosquitos. Não existe maneira de o vírus alcançar um ser humano sem que o mosquito hospedeiro carregue o vetor para o novo hospedeiro. Portanto, a maior preocupação das pessoas deve ser no controle e na eliminação do mosquito.

Evite o mosquito da dengue

A melhor maneira de ficar longe dos vírus que causam doenças é ficando longe do mosquito. As maneiras de acabar com a dengue já foram repetidas e relatadas diversas vezes e em diversos veículos de comunicação.

Mas considerando a importância esse tipo de prevenção, nunca é demais saber como se proteger:

  • A mais importante dica é evitar deixar focos de proliferação no quintal ou nos arredores da sua casa. O mosquito da dengue se reproduz em ambientes com água parada e limpa. Algo que não é tão difícil de eliminar de um ambiente. Vire pneus e garrafas para que eles não acumulem água, use um pouco de desinfetante em ralos e troque a água de animais de estimação constantemente, sem esquecer de limpar o pote uma vez ao dia.
  • Já com os vasos de plantas, o cuidado principal fica por conta de não deixar a água juntar no pratinho que geralmente é colocado embaixo da plantinha. Evitar esse problema é fácil, já que você pode colocar areia onde a água ficaria parada.
  • Outro ponto muito importante é ficar e olho no seu lixo e nunca descuidar de como você joga fora certos objetos. Nunca jogue lixo em valas ou córregos, sempre garanta o descarte correto e nada de deixar entulhos no quintal.

Seguindo essas dicas simples, você pode garantir um quintal livre dessas indesejadas criaturas. Mas ainda há maneiras de se proteger caso você não tenha como controlar os mosquitos em um ambiente, como no trabalho ou por causa de vizinhos.

Repelentes

Os repelentes são simples e bastante eficazes, capazes de espantar os mosquitos. Existem diversos tipos de repelentes que você pode escolher, existem opções em aerossol, líquidas e até mesmo em forma de pulseira.

Quem quer ficar longe destes mosquitos podem escolher qual opção de repelente é a mais indicada para o seu caso. Lembrando que todos repelentes possuem um tempo determinado de efeito. Por isso pesquise bem antes de comprar e tenha sempre o repelente em mãos para repor sempre que o efeito passar.

Tela mosquiteiro

Se a casa fica em um ambiente de risco em relação ao número de focos de criadouros da dengue, pode ser interessante o uso de uma tela mosquiteiro para impossibilitar a entrada dos insetos em sua residência.

As telas são colocadas na janela e são uma solução permanente para ficar seguro dentro de um ambiente. Mas vale ressaltar que depois de sair do local onde estão as telas, você corre o risco de encontrar com esses mosquitos chatos novamente. Portanto, o repelente ainda se faz necessário no dia-a-dia.

Uso da vacina contra a dengue

A vacina contra a dengue é uma boa opção para quem quer evitar ter problemas com o vírus. A vacina licenciada no Brasil é desenvolvida pela empresa francesa Sanofi Pasteur, e é feita com vírus atenuados. Por ser tetravalente ela protege contra quatro sorotipos de dengue existentes, sendo os mais comuns encontrados em contaminações urbanas.

A vacina serve como um importante reforço para quem quer se proteger das doenças causadas pelos vírus transmitidos por mosquitos, porém, não pode ser considerada a única proteção. Em pessoas com mais de 9 anos de idade ela tem uma eficiência de 66%, ou seja, ainda há uma janela para o vírus.

Com isso em mente, a melhor maneira de se proteger da ameaça dos mosquitos durante o verão é fazendo a sua parte para manter o quintal limpo, se protegendo com os repelentes e também contando com as doses da vacina.

Ao seguir essas dicas, você poderá ficar mais tranquilo durante o verão e vai poder aproveitar os dias mais quentes sem medo do mosquito da dengue.

Para os outros insetos, como baratas, cupins e formigas, que também proliferam nesse período, a Esgotecnica Dedetizadora acaba com diversas pragas urbanas em residências e comércios!

Conte com a gente para ajudar sempre que precisar.

15 maio 2017

Mosquito da dengue e pernilongo: aprenda a diferenciá-los

Muitas vezes estamos tranquilos dentro de casa e então começamos a notar alguns pernilongos voando pelo local, ou até mesmo pousando na gente.

Nesse momento lembramos de todas as notícias relacionadas a dengue e ao aedes aegypti e aí começa a preocupação.

Será que é dengue? Tem dengue em casa? Será que já foi picado e vou entrar para as estatísticas?

A preocupação é comum e vem se tornado cada vez mais comum nos lares brasileiros. Principalmente nos estados onde a ocorrência da doença já está há níveis alarmantes de quase epidemia.

Na maioria das vezes estamos apenas nos preocupando sem necessidade, algumas vezes estamos certos.

Devido à gravidade da dengue é que é preciso entender a diferença entre o pernilongo comum e o mosquito da dengue.

Existem uma série de fatores que ajudam na hora de diferenciar as duas espécies do mesmo inseto.

Aprenda a diferenciar o mosquito da dengue do pernilongo comum. Para acabar com os pernilongos chame a dedetizadora São Paulo!

As diferenças entre o mosquito da dengue e o pernilongo

A primeira diferença está na determinação científica dos dois. O pernilongo comum é chamado de Culex quinquefasciatus, já o mosquito da dengue é o famoso Aedes Aegypti.

Mas isso não interessa tanto para quem quer descobrir a diferença entre eles. O importante é o que podemos ver a olho nu e o que podemos notar.

Bom, as principais diferenças entre eles são:

O tamanho

A primeira diferença distinta entre os dois está no tamanho de cada um.

O Culex mede de 3 a 4 milímetros. O Aedes pode medir de 5 a 7 milímetros. Ou seja, quase o dobro do tamanho.

Claro que não há como medir um mosquito com uma régua, ainda mais por serem difíceis de capturar. Mas apenas de bater o olho já dá para notar se o mosquito tem um tamanho normal, ou se ele é um grandalhão.

A cor

Além do tamanho bem diferente entre os dois, outro detalhe básico é a cor dos mosquitos.

O Culex possui uma cor marrom bem clássica desses insetos. Nada que chame muito a atenção. É até difícil ver ele contra a pele, dependendo do tom.

Já o Aedes Aegypti possui o corpo preto com fachas brancas. Parece com uma camisa de presidiário. Ele é bem distinto e fácil de ser reconhecido.

O horário de alimentação

O pernilongo comum, como todo mundo já está acostumado, é um inseto noturno. Ele começa a procurar por alimento depois das 18 horas.

Quando mosquitos estão incomodando durante a noite é 100% de chance de ser um Culex comum.

Em contrapartida o Aedes só tem atividade durante o dia, geralmente das 9h às 13h. Quase que um horário de almoço. Ataques nesse horário são preocupantes.

O barulho que fazem durante o voo

Sabe aquele barulhinho bem chato que o mosquito faz? Bem parecido com um “bzzzzz”. Esse barulho é característico apenas do pernilongo.

O Aedes Aegypti não possui som algum, ele é silencioso. Esse é um dos fatores preocupantes do mosquito da dengue, ninguém ouve ele chegando.

Velocidade de voo

O Culex é menor e consequentemente mais fraco do que o seu primo perigoso. Isso também se aplica as asas das duas espécies.

Os pernilongos comuns voam bem mais lentos do que os Aedes. Eles são lentos o suficiente para serem esmagados ou mortos por raquetes elétricas.

O Aedes, por sua vez, é muito rápido e ágil. Dificilmente é possível matar um mosquito da dengue com uma raquete elétrica ou com uma chinelada.

Local de picada

O local da picada também possuí uma diferença muito grande.

A diferença entre a picada do mosquito comum e o da dengue está nas marcas deixadas pelos dois.

O Culex deixa marcas por onde ele passa. Pele irritada, coceira e vermelhidão são os principais sintomas da picada causada pelo Culex.

Infelizmente o mosquito da dengue também é silencioso com a sua picada. Ele não deixa sinais, marcas, dor ou coceira. Ele pica, suga seu sangue e vai embora e nem é possível de sentir a sua ação.

Juntando isso com o seu voo silencioso, o mosquito da dengue é um perigo quase imperceptível.

Como se prevenir contra os mosquitos

Tanto o Culex quanto o Aedes botam seus ovos no mesmo lugar. Em água parada. A diferença é que o Aedes prefere água limpa e tem os ovos muito mais resistentes.

Para evitar problemas com qualquer espécie de mosquito, a dica é bem simples. Prevenção.

Confira algumas dicas que podem ajudar a prevenir o aparecimento desses insetos:

  • Mantenha a caixa d’água sempre com a tampa adequada;
  • Evite o entupimento de calhas através da limpeza e manutenção periódica;
  • Não deixe água a da chuva acumular na laje;
  • Lave com escova e sabão todos os containers de água;
  • Encha o pratinho dos vasos das plantas com área;
  • Troque a água dos animais todos os dias e lave os potes uma vez por semana;
  • Não deixe nenhum objeto que possa acumular água em local aberto.

Seguindo essas dicas simples você não irá precisar se preocupar nem com o mosquito da dengue e nem com o chato do pernilongo.

Precisa de ajuda profissional?

Entre em contato com a gente e conheça nossos serviços de dedetização. Temos a certeza de que você irá encontrar todas as soluções que você precisa.

WhatsApp chat