As pragas urbanas são um problema para residências e diferentes ambientes. Porém, o risco é ainda muito mais alto quando estamos falando sobre a indústria alimentícia. As pragas urbanas nestes ambientes representam perigos imediatos que vão além da saúde geral, apesar de esse ser o mais importante aspecto.

O controle de pragas na indústria de alimentos é mais do que fundamental, é uma obrigação prevista na lei e que pode gerar multas e punições graves para quem não cumpre as normas vigentes em relação a dedetização.

Primeiro precisamos entender o que faz parte da indústria de alimentos, já que muita gente pode achar que não faz parte deste segmento.

Por definição a indústria alimentícia engloba toda empresa, grande ou pequena, que produz, manipula, armazena ou comercializa qualquer tipo de alimento. Por exemplo, supermercados podem ser considerados parte da indústria alimentícia, assim como frigoríficos, lanchonetes, restaurantes, entre outros exemplos.

Para evitar problemas, prejuízos ou outros transtornos mais graves, é importante que toda empresa que lida com alimentos se atente as regras para o controle de pragas dentro do ambiente.

Controle de pragas na indústria de alimentos – Como funciona

O termo mais correto para esse tipo de procedimento é realmente “controle de pragas” e não a dedetização. Para esse tipo de segmento industrial é preciso ter um verdadeiro controle para evitar a proliferação desses perigosos vetores de doenças.

Qualquer praga urbana é considerada um verdadeiro desastre para ambientes com alimentos. Desde as formigas até os ratos e pombas. Além de oferecer riscos de doenças, eles podem causar prejuízos financeiros diretos.

Por exemplo, a OMS, Organização Mundial de Saúde estima que cerca de 20% de toda a produção alimentícia do mundo é perdida por causa dos ratos. Apenas os ratos. Ou seja, já dá para imaginar o quanto essas pragas podem custar para uma empresa de produção, embalagem, armazenamento e comércio de alimentos.

Além de que, caso haja uma proliferação dentro da empresa, provavelmente a fiscalização vai interditar e aplicar multas condizentes com o que está na lei.

Medidas para o controle de pragas

A especificação para o controle de pragas em empresas alimentícias está descrita no item 4.3 da RDC nº 216. O texto entra em mais detalhes em como é feito o controle preventivo para evitar a proliferação das pragas, porém, vamos explicar de forma sucinta como é feito este controle básico.

Primeiro, é preciso entender o que faz com que as pragas proliferem. Para que esses animais cresçam e se reproduzam é preciso ter Abrigo, Água e Alimento. Ao encontrar um ambiente com esses três fatores, os animais podem procriar em velocidade assustadora, gerando centenas de milhares de descendentes.

Por isso o texto descrever algumas práticas corretivas e preventivas que devem ser adotadas por todas as empresas do setor.

Práticas preventivas para o controle de pragas na indústria de alimentos

As práticas preventivas são simples, porém exigem bastante cuidado e dedicação. Elas podem ser adotadas em qualquer ambiente, incluindo casas, apartamentos e muito mais!

A primeira e mais importante das práticas preventivas é a eliminação da atração. As pragas urbanas procuram lugar com alimento, esse é o primeiro convite para que as criaturas comecem uma proliferação.

Restos de comida deixados no lixo é um grande chamariz de baratas e ratos. Ao ser atraído por esse tipo de resto, esses animais com certeza tentarão encontrar abrigo por perto. Isso nos leva para a segunda prática preventiva: Eliminar os abrigos.

Ratos e baratas gostam de se esconder no lixo, entulhos, locais abandonados. Outras pragas ainda mais perigosas, como os escorpiões, adoram madeira apodrecia e locais úmidos.

O jeito de acabar com o abrigo para estes animais é uma boa e constante limpeza. Ao manter o “quintal” limpo as chances de que haja proliferação das pragas é muito menor. Portanto, entulhos e lixos devem ser sempre removidos do ambiente.

Ao manter o ambiente limpo, a oferta de alimento para ratos e baratas também é anulado. Nenhum animal ficara em um ambiente onde ele não consegue encontrar alimentos.

Para diminuir a oferta de água o principal é ficar de olho nos canos, caixas de gordura, caixas d’água e qualquer outra fonte de líquido. Não deixe que os canos contenham vazamentos e tampe bem as caixas d’água.

Práticas corretivas

As práticas corretivas incluem todo o tipo de dedetização, que deve sempre ser realizado por uma empresa especializada. A obrigatoriedade da dedetização é a cada 3 meses e pode ser feita da melhor maneira combinada com a empresa de dedetização.

A pulverização, iscas em gel e polvilhamento são os métodos mais comuns e funcionam de forma efetiva.

Nestes casos a melhor opção é fazer um orçamento com a dedetizadora para descobrir a melhor maneira de realizar o procedimento. Em São Paulo, a melhor escolha é entrar em contato com a Esgotecnica Dedetizadora para garantir o melhor orçamento e com os melhores resultados!